Ánanda Sútram

Ánanda Sútram significa, em parte, “aforismos que conduzem ao estado de ánanda, a bem-aventurança divina”. Através dos séculos, os sútras foram muito utilizados como uma ferramenta poderosa para transmitir filosofias profundas de maneira concisa e facilmente memorizável. O significado literal do termo sútra é “fio”, querendo dizer que as numerosas jóias do pensamento podem ser reunidas em um só fio. Seguindo essa tradição literária dos sútras, os 85 sútras deste livro constituem, de forma bastante concisa, um compêndio sobre toda a ideologia da Ananda Marga.

Neste pequeno e empolgante livro, Shrii Shrii Ánandamúrti apresentou à humanidade alguns conceitos originais de metafísica, epistemologia, ética e macro-história. Estabeleceu pela primeira vez uma abordagem socioeconômica concebida sob o enfoque de uma filosofia centrada em Deus, combinando uma abordagem subjetiva (prática espiritual) com um ajuste objetivo (filosofia socioeconômica), o que oferece ao mundo um sistema social progressista baseado na justiça econômica. Ele definiu os livros Ánanda Sútram e Idéia e ideologia como darshan shástra (tratado filosófico) da Ananda Marga.

PVP: 6€

Excertos

1-1. Shivashaktyátmakam’Brahma.

[Brahma é composto de Shiva e Shakti].

Significado: Brahma [Entidade Cósmica] é composto de Shiva [Consciência] e Shakti [Princípio Operativo].

Uma folha de papel tem dois lados. Embora, para efeito explicativo, existam dois lados, eles não podem ser separados da unidade do papel. A exclusão de um dos lados comprometeria a existência do outro. Essa é a mesma relação que Purus’a [Consciência] e Prakrti [Princípio Operativo] têm com a Entidade Cósmica. Nenhum dos dois pode existir sem o outro. Por isso, diz-se que eles estão inexoravelmente juntos.

Embora em linguagem filosófica seja mais usado o termo Shiva, ou Purus’a, na linguagem coloquial o termo átmá [“alma” ou “self”] é o mais utilizado com a mesma significação. Shiva significa ‘Consciência Testemunhal’. Assim, “Purus’a – pure shete yah sah Purus’ah” quer dizer: “A entidade testemunhal latente em todas as entidades é Purus’a”. E átman significa “aquela entidade que é onitelepática”.

 

2-1. Anukúlavedaniiyam’ sukham.

[Uma sensação mental agradável chama-se felicidade].

Significado: Quando as ondas mentais de uma pessoa que tenha um sam’skára na forma latente dessas ondas se ajustam a ondas similares emanadas de algum objeto denso ou de outra entidade mental, então essas ondas, no caso dessa pessoa, são chamadas de ondas recíprocas ou complementares. O contato dessas ondas reciprocamente ajustadas é o que se chama de felicidade.

2-2. Sukhánuraktih parama’ jaeviivrttih.

[O anseio por felicidade é o vrtti (propensão) primário dos seres vivos].

Significado: Cada ser vivo procura manter sua sobrevivência, e esse instinto de sobrevivência é uma faculdade mental. A busca de felicidade coloca em risco o sentido de existência mais profundo do indivíduo, por isso, não queremos apenas a felicidade, buscamos a expansão da felicidade como último refúgio.

2-3. Sukhamanantamánandam.

[A felicidade infinita é ánanda (bem-aventurança)].

Significado: Nenhum ser vivo se contenta com pouco, muito menos o ser humano. Desse modo, pouca felicidade não satisfaz a ninguém. Todos querem felicidade infinita. Essa felicidade infinita é uma condição que está além dos conceitos de prosperidade e infortúnio, porque a sensação de felicidade advinda dos sentidos ultrapassa os limites dos órgãos sensoriais ao se fixar no infinito. Essa felicidade infinita é conhecida como ánanda [ou bem-aventurança].