Ánanda Márga Caryácarya Parte 3

Shrii Shrii A’nandamu’rti, fundador, proponente e preceptor do movimento Ananda Marga, formulou o trishástra da Ananda Marga — que é composto de dharma shástra (tratado espiritual); darshan shástra (tratado filosófico) e samája shástra (tratado social) — a partir de uma perspectiva filosófica monística da Ananda Marga. As partes 1, 2 e 3 de Ananda Marga Carya’carya (caryácarya significa “código”) constituem o samája shástra.

A parte 3 contém todos os conselhos e restrições relacionadas com a saúde física, tendo em vista o progresso mental e espiritual. O autor explica as posturas yogis (ásanas) e outras práticas relacionadas, sem esquecer que o acompanhamento de um instrutor qualificado (acárya) é fundamental.

O autor escreveu o Caryácarya original em 1956, quase imediatamente após a missão da Ananda Marga ter sido fundada.Nos anos 60, 70 e 80, o autor acrescentou diretivas para um maior benefício aos seguidores da Ananda Marga.

Continuar a ler

Ánanda Márga Caryácarya Parte 2

Shrii Shrii A’nandamu’rti, fundador, proponente e preceptor do movimento Ananda Marga, formulou o trishástra da Ananda Marga — que é composto de dharma shástra (tratado espiritual); darshan shástra (tratado filosófico) e samája shástra (tratado social) — a partir de uma perspectiva filosófica monística da Ananda Marga. As partes 1, 2 e 3 de Ananda Marga Carya’carya (caryácarya significa “código”) constituem o samája shástra.

A parte 2 dá as linhas de conduta para a vida individual e colectiva.

O autor escreveu o Caryácarya original em 1956, quase imediatamente após a missão da Ananda Marga ter sido fundada.Nos anos 60, 70 e 80, o autor acrescentou diretivas para um maior benefício aos seguidores da Ananda Marga.

Continuar a ler

Ánanda Márga Caryácarya Parte 1

Shrii Shrii A’nandamu’rti, fundador, proponente e preceptor do movimento Ananda Marga, formulou o trishástra da Ananda Marga — que é composto de dharma shástra (tratado espiritual); darshan shástra (tratado filosófico) e samája shástra (tratado social) — a partir de uma perspectiva filosófica monística da Ananda Marga. As partes 1, 2 e 3 de Ananda Marga Carya’carya (caryácarya significa “código”) constituem o samája shástra.

A parte 1 trata, entre outras coisas, dos procedimentos relativos a eventos e cerimônias sociais, tais como batismo de crianças, inauguração de casas, festas, casamento, cremação, plantio de árvores e vários outros eventos socioespirituais.

O autor escreveu o Caryácarya original em 1956, quase imediatamente após a missão da Ananda Marga ter sido fundada.Nos anos 60, 70 e 80, o autor acrescentou diretivas para um maior benefício aos seguidores da Ananda Marga.

Continuar a ler

Ánanda Sútram

Ánanda Sútram significa, em parte, “aforismos que conduzem ao estado de ánanda, a bem-aventurança divina”. Através dos séculos, os sútras foram muito utilizados como uma ferramenta poderosa para transmitir filosofias profundas de maneira concisa e facilmente memorizável. O significado literal do termo sútra é “fio”, querendo dizer que as numerosas jóias do pensamento podem ser reunidas em um só fio. Seguindo essa tradição literária dos sútras, os 85 sútras deste livro constituem, de forma bastante concisa, um compêndio sobre toda a ideologia da Ananda Marga.

Neste pequeno e empolgante livro, Shrii Shrii Ánandamúrti apresentou à humanidade alguns conceitos originais de metafísica, epistemologia, ética e macro-história. Estabeleceu pela primeira vez uma abordagem socioeconômica concebida sob o enfoque de uma filosofia centrada em Deus, combinando uma abordagem subjetiva (prática espiritual) com um ajuste objetivo (filosofia socioeconômica), o que oferece ao mundo um sistema social progressista baseado na justiça econômica. Ele definiu os livros Ánanda Sútram e Idéia e ideologia como darshan shástra (tratado filosófico) da Ananda Marga.

Continuar a ler

Os 16 Pontos

A característica mais significativa da Ananda Marga é a possibilidade de acesso às técnicas intuitivas do Yoga Tantrico, para o desenvolvimento pessoal, e a disponibilidade de uma abordagem objectiva para a transformação social.

Os 16 Pontos para a auto realização do Iogue, constituem recursos que efectivamente formam a base estrutural do aspirante espiritual, visando a realização do seu processo de transmutação energética, conhecido como Sádhana (práticas espirituais).

A partir de um corpo saudável, uma mente mais tranquila, com as tendências instintivas sob razoável controle e dispondo de uma convivência social em harmonia, poderemos optimizar o processo de Sádhana e aceder a todas as dimensões da infinita existência humana.

Dentre as preciosidades legadas por Shrii Shrii Anandamurti, estão os 16 pontos, eles representam a síntese do processo que transporta o ser humana de uma condição limitada, a um estado que transcende os seus condicionamentos, estabelecendo-se na infinita luminosidade, beleza e nobreza da esfera espiritual. Desta forma, cumpre com a sua natureza que é desenvolver, num processo evolutivo natural, todo o seu potencial físico, mental, espiritual e social.

Continuar a ler