Filosofia Elementar da Ananda Marga

Filosofia Elementar da Ananda Marga foi o primeiro livro de Shrii Shrii Anandamuri, de um total de mais de 200 livros, o qual até hoje assume um importante papel como uma explicação introdutória de toda a sua filosofia.

A sua característica mais marcante é o uso de uma lógica formal, embora simples, capaz de nos tornar completamente convencidos da existência da Consciência Suprema e da necessidade da prática espiritual.

Edição brasileira.
PVP: 11€

Excertos

Existe um outro “eu”, que é o “eu” possuidor, ou o “eu” que tem a consciência de que a mente existe. A existência do “eu” na mente humana é uma prova de que existe uma outra entidade real, a qual está além da mente e reconhece a sua existência. Esse “eu”, que é a entidade testemunhal, ou seja, a entidade que testemunha a existência da mente e de buddhitattva (ou sentimento de eu) é chamado de átman, ou consciência individual. Assim, através da instrospecção e do pensamento concentrado, a pessoa pode perceber que o átman e a mente ou a consciência individual e a mente são duas entidades separadas.

(do capítulo 1, O que é Dharma?)

 

Os seres humanos formam o último estágio da escala evolucionária da criação. Nos seres humanos, a consciência está nítida e totalmente refletida por meio de um corpo físico constituído dos cinco fatores fundamentais, os quais derivam do corpo Cósmico da Entidade Suprema Qualificada (Sagun’a Brahma). Este reflexo claro da consciência é a consciência unitária (átman); e o corpo físico composto dos cinco fatores, o qual recebe este reflexo, é chamado de corpo humano. Assim, cada ser humano tem a consciência unitária (átman) e o corpo. O fato de o ser humano possuir essas duas características significa que ele não é uma coisa nem outra. Se os seres humanos fossem apenas o átman (consciência unitária), eles não teriam a capacidade de afirmar que seriam esse átman, Se, por outro lado, tivessem somente o corpo, não poderiam dizer: “Este é o meu corpo”. Eles são diferentes desses dois aspectos. Existe uma outra entidade nos seres humanos que reivindica a posse do átman e do corpo.

(do capítulo 4, Quem eu sou e o que sou?)